24 novembro 2005

A Pipoca

Hoje a Pipoca vai ficar com as orelhas a arder... vou mesmo começar por ela, nesta digressão pelos desportos da família.
Com ela tudo começou aos 6 anos. A Professora Ira era uma russa daquelas que nos deixam sem perceber porque é que dizem que os Russos são "terríveis". Foi a primeira treinadora e uma grande amiga que deixou saudades que nunca mais acabam. Voltou a Portugal no Verão de 2004, a Pi e a Mary foram visitá-la ao LGC.
A prof. Ira deixou as alunas entregues aos clubes que ela elegeu e de entre esses os pais escolheram o que mais gostaram. Daí a entrada para o LGC.
Mais um ano de ginástica desportiva com a Paula Barata e a Bi e depois a acrobática.
A Elsa e a Vanda foram as treinadoras de muitos anos, muitos sucessos, muitas alegrias, também muitos sacrifícios... mas a competição é isso mesmo...umas coisas pelas outras. Primeiro o trio com a Catarina e a Irina, depois o trio com a Catarina e a Sara e depois a ida ao Campeonato da Europa em 2003

Nesse ano teve 1 semana de férias nas Berlengas e Peniche...longe de tudo!

No ano seguinte fomos viver para a Moita e havia no Barreiro 2 treinadores fantásticos que ensinavam aeróbica: a Andreia e o David. Novos amigos, a Raquel, a Maria, a Rita, a Sara...eu sei lá era muita gente... e os campeonatos correram bem.


Mas o bichinho estava lá... e ela via e revia as fotografias e os filmes... e teve que voltar para a acro. Mas era tudo diferente: estava maior, mais gordinha, já não ía ser volante. Pronto... mesmo assim foi bom... em Outubro de 2005 eram os Jogos Europeus por Idades na Grécia, a Ritinha estava lesionada e a Pipoca foi muito feliz no trio da Mary e da Mariana que agora passou também a ser dela... era teu Joana! Senão não tinham ido aos jogos e à final e ficarem em 8º, o que foi fantástico.

Um beijinho também para o prof. Luis Barros, pelo seu esforço e dedicação durante aqueles 2 meses no SFRUA.

Agora a Pipoca, irá continuar ou não a fazer acrobática?

Eu sei que pela tua dedicação ao desporto vais fazer muita coisa seja qual for a modalidade que escolheres.

23 novembro 2005

As treinadoras

Em competição há bons e maus momentos, temos que respirar intensamente os bons momentos para que não nos falte o ar quando os maus momentos acontecem. Tal com na vida, os competidores cansam-se, querem desistir e dificilmente encaram as dificuldades como vitórias a alcançar...é facil ganhar quando o vento corre a favor, mas até lá o esforço é grande e parece não compensar.
Uma classe de competidores nunca acaba porque alguns não tem coragem de remar contra o vento.
Enquanto houver um homem o mundo não acaba, se houverem dois a esperança é maior, mas se ainda por aí andarem uns oito então está garantido que a luta vai ser grande mas a semente do grupo está bem viva... então se os lideres forem fantásticos o caminho vai ser longo e duradoiro

Os treinadores dos atletas de competição são uns sofredores...sempre lá por detrás da cortina, contém a emoção, apertam o coração para não rir e para não chorar... no fim ficam felizes mas ninguém reparou ou ficam tristes e também ninguém reparou. Não são maus, nem antipáticos, nem insensíveis... são rigorosos, exigentes e disciplinados... mas também ninguém repara... bom também há quem repare!!!

Um beijinho para as treinadoras das minhas filhas. Nunca desanimem.